A Fertilização in Vitro é um tratamento de reprodução humana assistida de alta complexidade no qual retira-se o óvulo da mulher ou da doadora através de uma punção transvaginal guiada por ultrassom, o óvulo é fertilizado em laborátorio com espermatozoides do pai ou do doador mantido em estufa, avaliado o seu desenvolvimento para, posteriormente, transferir o embrião ao útero da mãe ou da gestante de substituição. Atualmente, a Fertilização in Vitro já é considerada um dos métodos mais eficazes e seguros disponíveis.

Para quem é indicada a Fertilização in Vitro

Esse tratamento de fertilização é indicado quando a mulher tem anormalidade nas trompas, laqueadura tubárea, endometriose, ovários que não ovulam bem, espermograma deficiente em número (abaixo de 5 milhões/ml) ou motilidade dos espermatozóides, infertilidade sem causa aparente, entre outros. sendo dos fatores mais importantes para a escolha desse método a idade da mulher, tempo de infertilidade, ansiedade e vontade do casal.

Passo a passo da Fertilização in Vitro

01

O primeiro passo é agendar a consulta com um especialista para investigar minuciosamente a causa da infertilidade por meio de exames específicos, a exemplo do ultrassom transvaginal, histerossalpingografia, espermograma completo, além de exames laboratoriais e hormonais.

02

Em complemento, são feitas algumas recomendações preparatórias à mulher que incluem ter as vacinas em dia, evitar excessos de bebida alcoólica e tabagismo, controlar doenças crônicas e, inclusive, usar ácido fólico para prevenir malformações do feto.

03

Superadas essas etapas, inicia-se a indução da ovulação com medicamentos orais e/ou injetáveis. A evolução dos folículos é acompanhada por ultrassonografias transvaginais seriadas para determinar qual o melhor momento para a punção ovariana. O objetivo em uma Fertilização In Vitro bem planejada não é de recrutar um número maior de óvulos, mas sim óvulos de melhor qualidade – para potencializar a capacidade fértil da mulher.

Importante! A dosagem do medicamento e a escolha do tipo de administração leva em consideração fatores individuais.

04

Com a avaliação de diversos fatores, como tamanho dos folículos, velocidade de crescimento dos mesmos, desenvolvimento do endométrio, medicamentos utilizados, estudo de como são usualmente os ciclos da mulher, entre outras informações, decide-se o melhor dia para que os óvulos sejam retirados por meio de punção ovariana com uma agulha guiada por ultrassom transvaginal. Os óvulos são então levados ao laboratório para posterior fertilização. Nessa ocasião, o homem colhe o sêmen por masturbação ou, no caso de inexistência de gametas no sêmen, o paciente é submetido a uma punção ou biópsia dos testículos para retirá-los diretamente de onde são produzidos.

05

A partir disso, os espermatozoides são capacitados e selecionados e, então, introduzidos nos óvulos para ocorrer a fecundação. Diversamente à inseminação artificial (intrauterina), na fiv, os embriões se desenvolvem em laboratório durante dois a cinco dias, quando, finalmente, serão devolvidos para o útero da mãe num procedimento simples e indolor – conhecido como transferência de embriões. Após a transferência, a paciente permanece em repouso por 15 minutos e na sequência pode seguir suas atividades habituais, evitando esforço físico elevado por uma semana.

06

Passados 15 dias pode-se realizar o teste de gravidez para verificar se houve sucesso no tratamento.

Veja também outros métodos eficazes de reprodução assistida

Fertilização
In Vitro

Inseminação
Artificial

Coito
Programado

Congelamento
de óvulos

Congelamento
de embriões

Congelamento
de sêmen

Diagnóstico
Pré-Implantacional